Irmã Alzira Barros (1928-2017)

A Comunidade das Irmãs da Consolação cumpre o doloroso dever de participar o falecimento da Irmã Alzira da Fonseca Barros, aos 88 anos, hoje, dia 18 de Maio, pelas 4 horas, na sua Casa dos últimos 43 anos, o “Lar de Sant’ana - Matosinhos”.

Natural de Matosinhos, a Irmã Alzira Barros nasceu no dia 28 de Dezembro de 1928, filha de Alfredo Joaquim de Barros e de Emília da Fonseca Barros, tendo dedicado toda a sua vida ao serviço da fé, da caridade e do ensino.

Com o curso complementar de Secretariado e Relações Públicas, começou por trabalhar com o seu pai, tendo ingressado aos 26 anos, no dia 2 de Fevereiro de 1955, na Congregação das Irmãs da Consolação, onde tirou o curso de Teologia. A 2 de Setembro de 1957 professa os primeiros votos optando, na sua vida de Consagrada, por um novo nome: Maria Teresa. Celebra os seus votos perpétuos no dia 3 de Setembro de 1960.

Na sua vida Religiosa, esteve em missão ao serviço da sua Comunidade em Zaragoza (1961), Castellón (1969), Huéscar (1972) e em Matosinhos, de 1958 a 1960 no Colégio da Boa-Nova, e, a partir de 1974 e até aos nossos dias, no “Lar de Sant’ana – Matosinhos”. Ao longo da sua vida deu testemunho de uma Fé inabalável em Deus e de uma devoção particular por Santa Maria Rosa Molas, Fundadora da sua Congregação, e em Nossa Senhora de Fátima. Foi catequista, e esteve ao serviço da Igreja em diversos movimentos.

No “Lar de Sant’ana – Matosinhos” viveu as épocas de maior crise social das últimas décadas em Portugal, manifestando sempre grande disponibilidade para ajudar todos aqueles que lhe pediam apoio, fossem utentes ou colaboradores da Instituição. Foi ainda muito relevante o trabalho desenvolvido a favor das “Missões da Consolação” em Moçambique, país onde esteve em missão, tendo promovido diversas ações de recolha de fundos para esse fim, nomeadamente durante as Festas do Senhor de Matosinhos.

Viveu parte da sua vida ao serviço do ensino tendo sido, durante longas décadas, professora de Religião e Moral Católicas na Escola Secundária, tendo contribuído para a formação de muitas gerações de jovens que passaram quer pelo Colégio da Boa-Nova quer pela Escola Industrial de Matosinhos, hoje Escola João Gonçalves Zarco.

O exemplo de vida ao serviço do próximo da Irmã Maria Teresa ficará para sempre no coração de todos aqueles que tiveram o privilégio de comprovar o seu testemunho de fé e de generosidade.