Exercício 2015

No cumprimento das obrigações legais, o “Lar de Sant’ana – Matosinhos” torna públicas as suas contas relativas ao ano 2015, devidamente aprovadas pela Direção e pelo Conselho Fiscal da Instituição.

Durante o ano 2015, o “Lar de Sant’ana – Matosinhos” continuou a desenvolver a sua ação vocacionada para o apoio aos idosos e pessoas carenciadas do concelho. Este exercício terminou com um ligeiro prejuízo no valor de mil, cento e cinquenta e três Euros e que traduz o empenho da gestão na melhoria progressiva das condições de conforto da Instituição e na manutenção dos seus edifícios e equipamentos.

São de destacar os seguintes pontos relativos ao ano de 2015:

a)      Foi encerrado o processo de financiamento do Programa Operacional Potencial Humano, que pagou à Instituição o valor do saldo final do projecto da “3ª fase” do “Lar de Sant’ana – Matosinhos”; também a Câmara Municipal de Matosinhos encerrou o processo de financiamento, comparticipando com o valor liquidado em 2013 as obras do “Corpo Nascente”;

b)      A Instituição recebeu, por legado, um apartamento tipo T3+1, na Rua Alfredo Cunha, propriedade do Sr. Padre Alberto Moreira, capelão da Instituição, e que faleceu no mês de Maio de 2015; na requalificação desse apartamento a Instituição investiu elevados recursos, tendo ficado apto para acolher uma família de refugiados; a Instituição fez parte do primeiro grupo de Instituições a inscrever-se na  “Plataforma de Apoio a Refugiados” (PAR) uma louvável iniciativa da sociedade civil para coordenar a resposta a esta calamidade com que a Europa se confronta;

c)       Implementação do “Núcleo de Apoio à Demência Sénior” do “Lar de Sant’ana – Matosinhos” (NADS/LDS) que procurará dotar a Instituição de competências no acolhimento de pessoas idosas com demência;

d)      Investimento numa nova carrinha para aumentar a capacidade de prestação de serviços de apoio domiciliário, única resposta social da Instituição que ainda não tem a capacidade totalmente esgotada;

e)      Reforço de uma política de gestão dos recursos humanos muito rigorosa, com a definição de descritivos funcionais e o desenvolvimento de um modelo de avaliação de desempenho;

f)       Submissão à “Presidência do Conselho de Ministros” de um novo projecto de Estatutos, que respeitam na íntegra as regras legais emanadas da nova Lei-Quadro das Fundações e do novo Estatuto da Instituições Particulares de Solidariedade Social; estes novos Estatutos respeitam a história da Insituição e tornam a sua gestão mais ágil, nomeadamente com a criação de um órgão executivo;

A Instituição dispõe de solidez financeira e de capacidade para iniciar novos projectos no âmbito da sua ação de Solidariedade Social.